Endereço e horário de atendimento

Rua José Alexandre, nº155 – Centro / Segunda à Sexta das 08:00 às 14:00

Girau do Ponciano
Conheça a história de

Girau do Ponciano

Girau do Ponciano, antigamente denominado Belo Horizonte e depois como vila Ponciano, figurou como distrito no município de Traipu até a lei estadual nº 2101 de 15 de julho de 1958 elevou o distrito à categoria de município que foi instalado em 1 de janeiro de 1959.[8]

O início

No lugar onde atualmente está edificada a cidade de Girau do Ponciano, chegaram, em data não conhecida, as três pessoas que são consideradas as responsáveis pela fundação do núcleo populacional original. Eram dois homens e uma mulher, de procedência ignorada. Os registros guardaram o nome de apenas um deles: Ponciano.

Os pioneiros fundaram uma propriedade no local para exploração da agricultura. Porém, algum tempo depois, somente Ponciano permaneceu no lugar: um dos homens fixou-se em Tapagem de Traipu e a mulher transferiu-se para Jequiá da Praia. Ponciano, exímio caçador, permaneceu no local e continuou sua atividade de caça, que era abundante naquelas paragens.

Depois de alguns anos, uma senhora chamada Cidade Rodrigues e seus filhos Manoel e Antônio ali implantaram uma nova propriedade, levando maior movimentação ao núcleo populacional. O rápido progresso da localidade deveu-se à fertilidade de suas terras, bem como à chegada de novos proprietários.

A primitiva denominação do povoado era Belo Horizonte, mas, por volta de 1912, sua toponímia foi mudada para Vila Ponciano, pois já apresentava o aspecto de uma próspera comunidade. Contudo, oficialmente a mudança de nome de Belo Horizonte para Ponciano deu-se por meio do Decreto-Lei estadual nº 2909, de 30 de dezembro de 1943[9], que também modificou a toponímia de diversas povoações em Alagoas, após os trabalhos de uma comissão criada com o objetivo de estudar as denominações de vilas e cidades no Estado e propor mudanças toponímicas de modo a evitar repetição de nomes (o estudo e as futuras mudanças foram realizados para atender o Decreto-Lei federal nº 5.901, de 21 de outubro de 1943).[1]

Em divisões territoriais datadas de 31 de dezembro 1936 e 31 de dezembro de 1937, Belo Horizonte figura no município de Traipu. Em divisão territorial datada de 1º de julho de 1955, Ponciano ainda estava contida no mapa de Traipu.

A emancipação

O desenvolvimento cada vez maior fez com que alguns líderes locais iniciassem um movimento em prol da emancipação política da vila, o que veio a ocorrer em 1959. Dentre os líderes da independência, destacaram-se Filadelfo Firmino de Oliveira, Manoel Firmino de Oliveira, Amaro José Bezerra, Júlio Bispo dos Santos, Pedro Lima de Oliveira, Manoel João Neto, Vicente Ramos da Silva, Luiz de Albuquerque Lima e Luiz Bispo dos Santos. Mesmo os moradores de Traipu não gostando da ideia emancipacionista, pois iriam perder um distrito que lhes trazia bons rendimentos, a vila acabou sendo elevada à categoria de Município autônomo com o nome de Girau do Ponciano, por meio da lei estadual nº 2.101, de 15 de julho de 1958. Desmembrado de Traipu, Girau foi instalado oficialmente em 1º de janeiro de 1959. Depois da emancipação, assumiram o governo municipal, em caráter provisório, dois prefeitos nomeados: José Pinheiro (1958-1959) e Manoel João Neto (1959-1962).[10]

Na primeira eleição para prefeito, o povo escolheu Vicente Ramos da Silva, que governou de 1962 a 1966.